Mundo: 1% da população mundial tem tanta riqueza quanto o resto do mundo

A diferença, aponta o jornal espanhol El País, tem vindo a aumentar desde a crise de 2008.

Página 16 os ricos

2015 será lembrado como o primeiro ano em que a riqueza de 1% da população mundial atingiu metade do valor dos activos totais. Em outras palavras, 1% da população do mundo, aqueles que têm activos de 667 mil milhões de euros ou mais, têm tanto de líquido ou investido como os restantes 99% da população mundial.

Este enorme fosso entre os privilegiados e o resto da humanidade, continuou a expandir-se desde a recessão de 2008. As estatísticas do Credit Suisse, instituição financeira, deixa apenas uma leitura possível: com a crise os ricos ficam mais ricos, tanto em termos absolutos como relativos, e os pobres relativamente mais pobres.

Em “Taurus” (2015), um dos últimos livros de Joseph E. Stiglitz, o Nobel da Economia utilizou uma imagem poderosa para ilustrar a dimensão do problema da desigualdade no mundo : um autocarro que transporte os 85 maiores bilionários do mundo contém tanta riqueza quanto a parte mais pobre da população global.

Mas há mais dados, segundo o “El País”: 0,7% da população mundial corresponde a 45,2% da riqueza total e os 10% mais ricos têm 88% dos activos totais, de acordo com a nova edição do estudo anual de riqueza publicado pelo banco Swiss Credit Suisse, feita a partir de dados de activos de 4.800 milhões de adultos em mais de 200 países.

Por país, quase metade dos mais ricos do mundo residem nos Estados Unidos da América (59 mil), 10 mil deles vivem na China e 5.400 têm residência no Reino Unido.

Anúncios

Alunos de mestrado visitam o CIAAR e a Barquinha

visita mestrados 2015 017

No passado dia 9 de outubro, um grupo de alunos a frequentar dois mestrados do Instituto Politécnico de Tomar visitaram o Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo (CIAAR) e o Parque de Esculturas de Vila Nova da Barquinha.

Esta visita teve como objectivo dar a conhecer a região que vai acolher estes alunos oriundos de vários países com o Líbano, Brasil, Canadá, Hungria e França.

Estes alunos integram o Mestrado em Arqueologia Pré-História e Arte Rupestre que decorre em associação com Mestrado Internacional Erasmus Mundus “Quaternário e Pré-História”, coordenado pela Universidade de Ferrara (Itália), Instituto Politécnico de Tomar (Portugal), Universitat Rovira i Virgili (Espanha), Museu de História Natural de Paris (França), Universidade Diliman (Filipinas) e o Mestrado MTA/Macland: Master of Cultural Landscapes. Master Erasmus Mundus Maclands, coordenado pela Universidade Jean Monnet de St Etienne (France) em parceria com o IPT e a Universidade di Napoli Federico II, Itália.

visita mestrados 2015 014

Texto e fotos: Cidália Delgado

Constância: Um passo de gigante à espera de aprovação

Com pompa e circunstância mas ainda sem aprovação para financiamento europeu, foi assim apresentado o projecto Villa Tejo Nature & Spa Hotel, unidade hoteleira de quatro estrelas. Entre optimismo e coragem, ilusão e trabalho já feito, Constância sustém agora a respiração à espera de luz verde por parte das instituições que gerem os fundos comunitários do Portugal 2020

Villa Tejo (1)

Tudo correu de feição no dia 13 de Outubro, no Centro Náutico de Constância. Sala cheia, ilustres convidados, comunicação social, população e os promotores entusiasmados. Houve um concerto de boas vindas, uma agradável recepção com produtos regionais e João Rosa, empresário que promove o projecto, com a emoção no discurso e a voz embargada perante um futuro risonho ao virar da esquina. Três milhões de euros é quanto custará o projecto turístico que responde a anseios antigos do concelho e que mudará a sua face.

Mas o problema reside no facto de o mesmo ainda não ter sido aprovado para financiamento europeu. Foi isso que ficou no ar aquando da intervenção de Júlia Amorim na cerimónia. A presidente da Câmara Municipal de Constância (CMC) advogou a importância do empreendimento para o concelho e região e deixou uma mensagem, “se este investimento não der para ser aprovado (no âmbito do programa Portugal 2020) é porque algo não está bem. De todo o modo move-nos a esperança e o acreditar que haverá investimento e apoio”.

“Nesta altura, em que uma batalha já está ganha, em que um investidor rodeado de uma equipa competente fez um projecto, acreditou nele e o submeteu para obtenção de apoio para financiamento comunitário, é possível ter aqui a apresentação de um projecto de investimento bom para o concelho e para a região, uma lacuna que existe. Relevando o facto de o novo quadro comunitário de apoio disponibilizar “muitos milhões de euros para os privados”, a autarca lembrou o trabalho desenvolvido pela autarquia nas últimas décadas, dizendo que nada é por “acaso”.

Miguel Pombeiro, secretário executivo da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), já havia salientado o investimento público realizado por António Mendes, ex-presidente da CMC e actual presidente da Assembleia Municipal. “Constância foi pioneira com todo o trabalho feito na requalificação das zonas ribeirinhas”. “Houve um pilar sempre um pouco mais fraco que foi o do investimento privado. Esta ambição que está aqui apresentada é uma decorrência de todo um conjunto de investimentos públicos feitos nas zonas ribeirinhas”, avaliou Pombeiro.

????????????????????????????????????
Projecto hoteleiro

Um hotel de luxo

O projecto nascerá junto à rotunda à saída da vila, em direcção a Montalvo e junto à A23. Contempla 28 quartos duplos, 10 suites, 5 suites premium com jacuzzi na varanda, SPA com piscina interior, jacuzzi, banho turco, sala de relaxamento e massagem com duche, restaurante, bar e um auditório. João Rosa, da empresa Vila Poema, Sociedade de Gestão Hoteleira, Lda, e que gere há quatro anos a Residencial João Chagas, contou que o projecto é um “sonho pessoal e da família”. “Há cerca de cinco anos fomos desafiados pela CMC para a criação da casa João Chagas, reposicionando-a. Para aumentar o volume de negócios tornámos a empresa num ponto de referência no turismo”, afirmou.

Mas o empresário observava várias lacunas na região e por isso decidiu avançar. Para isso reuniu uma equipa jovem, nomeadamente do gabinete de arquitectura “Classe A+”, entre outros. João Rosa disse ainda que aposta no investimento de 5 milhões de euros no concelho, durante os próximos 15 anos, elogiando o concelho pela qualidade de vida, pelo património e outras valências que a vila poema oferece, ele que é natural do Entroncamento.

Para já, o Villa Tejo Nature & Spa Hotel prevê a criação de 26 postos de trabalho directos e entrada em funcionamento na primavera de 2017. Após a sua conclusão oferecerá um serviço de excelência e de natureza, com cada um dos quartos com vista para o Rio Tejo.

????????????????????????????????????
João Rosa perante Miguel Pombeiro e Júlia Amorim

Críticas e apelos

Júlia Amorim quebrou o protocolo e teceu críticas à acção da Turismo do Centro. “Não nos tratam muito bem. Não é fácil o Médio Tejo impor-se na região de Turismo do Centro”, atirou a autarca, e finalizou dizendo que o projecto apresentado  “só não será apoiado se não tiverem olhos na cara”. Amorim deixou ainda um apelo a todos os presentes, “não é por acaso que convidámos quem convidámos, nada foi feito ao acaso, levam convosco a missão de tudo fazerem para que este investimento seja possível”, dirigindo-se aos presentes.

Também Miguel Pombeiro falou numa “referência expressa (do projecto) aos rios Tejo e Zêzere e isto mostra que são recursos endógenos únicos. Muito mal seria se o Tejo e o Zêzere não fossem sublinhados no próximo quadro comunitário”.

Texto e Fotos: Ricardo Alves

Constância: Vice-presidente da Câmara demite-se mas mantém-se como vereador

Daniel Martins, até há pouco tempo vice-presidente da Câmara Municipal de Constância, foi substituído no cargo por Arsénio Cristóvão. Júlia Amorim (CDU), presidente da autarquia, alega “incompatibilidades” na forma de trabalhar e de linha de pensamento. No entanto, Daniel Martins mantém-se como vereador com alguns pelouros. O ex-vice presidente alegou as mesmas razões e declarou que foi ele próprio a pedir a demissão. A questão foi discutida na última reunião do executivo camarário.

Região: Aldi encerrou lojas no Entroncamento e Ourém e mais duas no resto do país

auffangseiten_Immobilien

O grupo alemão também encerrou no final de setembro as lojas de Portalegre e Arroja (Odivelas) e justifica a decisão dizendo que se trata “apenas de um reposicionamento da marca e de um ajustamento ao mercado nacional”, adiantando que algumas destas lojas poderão mesmo reabrir “a médio prazo”.

Em declarações à Lusa, o responsável de expansão da Aldi Portugal, Rui Farinha, explicou que só no caso de Portalegre é que os postos de trabalho estão em causa, sem adiantar quantos.

Nos outros três supermercados, acrescentou, “as pessoas podem ser transferidas para as lojas vizinhas”.

Ainda na resposta por escrito à Lusa, a ALDI sublinhou que o grupo está “em franca expansão” em Portugal, referindo que “presentemente” faz uma seleção mais apertada antes da abertura de novas lojas.

Ainda assim, a cadeia admite “a médio prazo poder reabrir algumas das lojas encerradas”, dado que são património da Aldi.

Entroncamento: Exposição de desenho de Marília Aquilino Lopes na Galeria Municipal

Vai estar patente na Galeria Municipal de 26 de setembro, a 8 de outubro, uma exposição de desenho, da autoria de Marília Aquilino Lopes.

Intitulada “MÃE”, a exposição será inaugurada no próximo sábado, dia 26 de setembro, às 17h00.

Marília Aquino Lopes nasceu no Entroncamento em 1980. Desde muito cedo que se dedica ao mundo da experimentação plástica e artística tendo uma forte ligação ao mundo das artes.
Possui o curso de professores do 2ºciclo do ensino básico, na variante de Educação Visual e Tecnológica, leciona a disciplina de Educação Visual e Tecnológica entre outras disciplinas e projetos/ áreas do ramo artístico.
Atualmente a sua obra incide sobre a experimentação da aguarela e do desenho de retrato, fundindo ambas as técnicas.

A exposição de desenho “MÃE” apresenta um conjunto de retratos desenhados a carvão, de familiares da artista, incluindo auto retratos. Neste universo maternal, as cores fundem-se em manchas aguadas que compõem o fundo das composições dando evidência aos pormenores expressivos do desenho figurativo dos rostos das crianças.
“MÃE” é a palavra que está profundamente implícita no momento da captação das expressões faciais apresentadas.
A exposição poderá ser visitada de terça-feira a domingo, das 15h00 às 20h00.