Barquinha: Café com…pré-história

O Centro integrado de Educação em Ciências recebe dia 20 de Setembro a visita de Pedro Cura, técnico de Arqueologia, investigador do Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado no Vale do Tejo e Instituto Terra e Memória de Portugal, para um “Chá & Infusão com Ciência…na pré-história” .

A iniciativa “Café com…” é substituída pelo chá pois podem conhecer-se plantas utilizadas e qual a importância das infusões e do chá desde a pré-história com preparação e prova de infusões. Às 15h30 com inscrições para: 926642703, info@ciec.vnb.pt e http://www.ciec.vnb.pt.

RA

Anúncios

País: Siluros ameaçam rios portugueses

Pode atingir os três metros e pesar mais de 100 quilos e segundo avançou o semanário Sol está a invadir os rios portugueses. O siluro, um peixe-gato gigante, está segundo especialistas citados pelo semanário, a colocar em risco as espécies nativas.

PESCA SILURO MOSCA 005


Nos últimos 3 a 4 anos têm sido avistados siluros em pelo menos cinco rios: Tejo, Pônsul, Ocreza, Guadiana e Zêzere. Mas não é só na biodiversidade que esta espécie deve inspirar cuidados, também nos humanos, de acordo com o semanário Sol, que usam praias fluviais e deviam ser alertados para o facto.

Apesar de desconhecerem a forma como chegou a Portugal, os especialistas da Quercus acreditam que os transvases das barragens tenham sido a causa. Em Espanha, o peixe foi introduzido por um pescador alemão.

O Siluro “tem uma grande capacidade de locomoção, de reprodução e vive muitos anos”, tendo uma esperança de vida que atinge os 60 anos, explicou Vítor Almada, biólogo especializado em peixes do Instituto Superior de Psicologia Aplicada citado pelo Sol. Segundo o ambientalista a ameaça vai aumentar nos próximos anos.

Os siluros foram já confundidos por crocodilos na barragem de Castelo de Bode.

Barquinha: Incendiário detido após patrulhamento intensivo

Susp
Suspeito foi encontrado com um isqueiro enquanto fugia do local

Na madrugada de Sábado, 30 de Agosto, pelas 03h20, a Guarda Nacional Republicana de Vila Nova da Barquinha, deteve um homem suspeito de crime de incêndio florestal. O homem de 38 anos, português, tornou-se no trigésimo sétimo responsável por crimes de incêndio, a ser identificado pela GNR no distrito de Santarém.

A detenção decorreu do patrulhamento intensivo de policiamento preventivo devido a suspeitas levantadas por diversas ocorrências florestais no Concelho de V.N. Barquinha. Aquando desse patrulhamento, os militares da GNR aperceberam-se do “início de um pequeno foco de incêndio e de imediato encetaram-se diligências, designadamente, buscas e batidas às imediações e acessos ao local”, informa o Comando Territorial de Santarém da GNR em comunicado enviado às redacções.

O homem acabaria por ser detido quando se encontrava em fuga do local numa “viatura ligeira, transportando com ele um isqueiro que foi apreendido de imediato por suspeitas de ter sido usado para a ignição do ilícito”, lê-se. “A GNR preservou o local do crime e adoptou as medidas cautelares relativas à preservação dos meios de prova até à chegada da Polícia Judiciária”, que tentou determinar as circunstâncias em que ocorreu o caso.

O suspeito tinha marcado para hoje, Segunda-feira, dia 1 de Setembro, um primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coacção tidas por adequadas.

RA

Barquinha: Incendiário detido após patrulhamento intensivo

Susp
Suspeito foi encontrado com um isqueiro enquanto fugia do local

Na madrugada de Sábado, 30 de Agosto, pelas 03h20, a Guarda Nacional Republicana de Vila Nova da Barquinha, deteve um homem suspeito de crime de incêndio florestal. O homem de 38 anos, português, tornou-se no trigésimo sétimo responsável por crimes de incêndio, a ser identificado pela GNR no distrito de Santarém.

A detenção decorreu do patrulhamento intensivo de policiamento preventivo devido a suspeitas levantadas por diversas ocorrências florestais no Concelho de V.N. Barquinha. Aquando desse patrulhamento, os militares da GNR aperceberam-se do “início de um pequeno foco de incêndio e de imediato encetaram-se diligências, designadamente, buscas e batidas às imediações e acessos ao local”, informa o Comando Territorial de Santarém da GNR em comunicado enviado às redacções.

O homem acabaria por ser detido quando se encontrava em fuga do local numa “viatura ligeira, transportando com ele um isqueiro que foi apreendido de imediato por suspeitas de ter sido usado para a ignição do ilícito”, lê-se. “A GNR preservou o local do crime e adoptou as medidas cautelares relativas à preservação dos meios de prova até à chegada da Polícia Judiciária”, que tentou determinar as circunstâncias em que ocorreu o caso.

O suspeito tinha marcado para hoje, Segunda-feira, dia 1 de Setembro, um primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coacção tidas por adequadas.

RA