Barquinha: Matar saudades das festas no parque com os Mercados Ribeirinhos

Cerca de dois meses depois de uma das maiores enchentes alguma vez vista no Parque Ribeirinho, por ocasião da Feira do Tejo, chegam agora os Mercados Ribeirinhos nos dias 12, 13 e 14 de Setembro.

Mercados ribeirinhos

Se na edição de2013 o programa era cauteloso e próprio de uma edição inaugural, este ano sobejam as razões para nova romaria ao premiado parque de Vila Nova da Barquinha. O evento congrega exposição e comercialização de produtos Locais, artesanato, hortofrutícolas e plantas, cinema, música, dança, gastronomia tradicional, actividades de desporto e aventura e é fruto da estratégia de eficiência colectiva PROVERE – Mercados do Tejo – Rede para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia do Tejo, organizado pela Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, pelas Associações de Desenvolvimento Local TAGUS – Ribatejo Interior e ADIRN – Ribatejo Norte.

A inauguração é no dia 12, às 18h, com a actuação da Banda da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de VNB, precedendo a abertura do mercado de produtos locais e artesanato com mais de três dezenas de expositores, a tasquinha com gastronomia tradicional e a taberna de petiscos e que vão fazer as delicias dos visitantes durante os três dias de evento.

Os visitantes do evento poderão, ainda, comprar hortofrutícolas frescos e plantas nas manhãs de sábado e domingo. Produtores regionais interessados em participar no mercado devem contactar a organização através do email tagus@tagus-ri.pt, ou pelo telefone 241 372 180.

Na primeira noite do festival haverá, também, cinema ao ar livre, às 21h30, com curtas-metragens do projecto escolar Operação STOP, da Fundação Calouste Gulbenkian, que o Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha integra e um filme da selecção da Associação Cultural Palha de Abrantes.

O dia 13 começa com um workshop de lomografia, ministrado pela Embaixada Lomográfica de Lisboa. Para esta oficina, com uma duração de quatro horas, não é necessário nenhum conhecimento prévio sobre fotografia e as máquinas serão cedidas pela organização. As inscrições, limitadas a 12 participantes, devem ser feitas através do site da TAGUS (em http://www.tagus-ri.pt).

10418278_947004258659453_1582877585894042266_n

Este sábado terá bastantes actividades desportivas, iniciando com uma descida de canoa no rio Tejo, de Constância a Vila Nova da Barquinha, às 9h30, organizada pela ADIRN. Ensinar canoagem é a proposta do Clube Náutico Barquinhense para os mais pequenos às 16h, tanto no sábado (13) como no domingo (14), neste último dia haverá, também, insufláveis para as crianças.

Aulas livres de uma hora vão, ainda, dinamizar o Mercado Ribeirinho. A modalidade Crosstraining, que combina diferentes modos de exercício fitness, será às 11h, SpinningBike às 17h e Zumba às 18h. As três actividades vão ter lugar junto ao coreto, no Palco de Santo António, no dia 13.

Já a 14 de Setembro, a ADIRN dinamizará o trilho do Tejo com um passeio em bicicleta todo-o-terreno (BTT), às 9h30. Na mesma manhã o Body & Mind, que junta as vantagens do Yoga, Tai Chi e Pilates, é realizado às 11h, no Parque de Merendas.

No panorama musical, o festival barquinhense, além do músico da vila João Grilo na sexta-feira (dia 12), vai ser animado pelo grupo de música ligeira Arregaita, às 15h, e pelo quarteto Dixie Boys às 22h, de sábado (dia 13).

https://www.youtube.com/watch?v=o6oNVXs7-Lw

No domingo (dia 14), Pedro Dionísio actua às 15h, o grupo de música popular portuguesa Barquinha Saudosa toca às 17h e 30 minutos depois o DJ Addline trará ao parque desde música electrónica, africana e latina até aos êxitos dos anos 60, 70 e 80. Para terminar em grande 12 pares do Clube União Recreio de Moita do Norte (CUR) irão fazer demonstrações de estilos de danças de salão às 21h.

O Mercado Ribeirinho de Vila Nova da Barquinha é o último dos eventos deste ano, apoiados pelo Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro, do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) e pela Abordagem LEADER, do Programa de Desenvolvimento Rural (ProDeR).

NA

Anúncios

Barquinha: Revista Municipal é pioneira na era digital

image001

A Barquinha Viva, título da revista da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, passou a ser publicada em formato exclusivamente digital, como informa a Rede Comum de Conhecimento. A opção da autarquia visa economizar recursos e tirar partido das novas tecnologias de informação.

O número 31 da revista municipal de Vila Nova da Barquinha é o primeiro em versão exclusivamente digital, que prescinde assim da publicação em papel. No editorial da revista o presidente da autarquia, Fernando Freire, assume que a opção não é a mais desejável, mas serve “os propósitos do rigor na gestão”, numa altura em que é preciso dar “respostas de combate ao aumento das dificuldades sociais”.

A publicação, além de ser um meio de comunicação com os munícipes, procura divulgar património arqueológico, arquitectónico e paisagístico do concelho. Segundo a autarquia, a cultura e o turismo são sectores com valor económico significativo, com potencial de inovação e desenvolvimento.

A edição online da revista é produzida através da plataforma ISSUU, a mesma plataforma que é usada pelo Jornal Novo Almourol, um serviço de publicação digital que permite visualizar imagens digitalizadas de revistas, jornais, livros e outras publicações. O material publicado no site assemelha-se a uma edição impressa que pode ser folheada e visualizada duas páginas de cada vez.

Diversos estudos mostram que o facto de os jornais estarem online faz com que os mesmos nunca tenham tido tantos leitores, mas também é uma evidência que as edições em papel tendem a desaparecer, utilizando o espaço virtual para publicarem as suas edições, em formato digital. A opção pelo digital significa menos custos para as empresas de comunicação bem como para o leitor e uma maior propagação de conteúdos, nomeadamente através das redes sociais.

RA

Bons Sons: Música Portuguesa despediu-se ontem de Cem Soldos a pensar que dois anos é tempo demais

Festival confirmou que na aldeia do concelho de Tomar, de dois em dois anos, os Verões entram para a galeria de momentos inesquecíveis. Dezenas de milhares viveram a aldeia e a boa música ecoou pelas ruas de Cem Soldos. Sérgio Godinho, um dos últimos a subir ao palco, teve uma actuação acidentada, caindo do palco mas voltou minutos depois, apesar de visivelmente combalido e com uma lesão na cabeça. Nada o fez parar e a “liberdade” foi entoada ainda com mais força.

O NA, parceiro do Bons Sons, esteve lá e não perdeu pitada do que se viveu, deixando aqui algumas das imagens da edição de 2014 do festival. Daqui a dois anos há mais.

RA (fotos RA)

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

_DSC0195

_DSC0199

_DSC0204

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

_DSC0954

_DSC0955

_DSC0956

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014

Festival Bons Sons 2014